12/05/2016- PAC sai do papel e muda realidade do Altos da Boa Vista, em Várzea Grande

A movimentação de máquinas quebrou a rotina e mudou o cenário da porta da casa do ‘seo’ José Manoel da Silva, de 72 anos. Antes das 8h ele conferia do portão a novidade: a chegada do asfalto, benefício esperado há 31 anos. O viúvo, morador da rua Nenem, no Altos do Boa Vista, disse que não vê a hora do serviço de pavimentação ser concluído para investir na residência e fazer a calçada. “Infelizmente minha esposa não viveu para ver o sonho dela se transformar em realidade. Quantas vezes ela reclamou da falta de asfalto, especialmente durante o período de seca, quando a roupa estava no varal. Mas o importante é que o asfalto chegou”, comemora.

As obras em andamento no Altos do Boa Vista fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que foi resgatado pela atual gestão. O projeto prevê 16 quilômetros de asfalto que abrangem os bairros Alto da Boa Vista, Parque São João, Santa Luzia e Jardim das Oliveiras, todos concentrados no grande Parque do Lago. O PAC prevê investimentos da ordem de R$ 450 milhões e vai levar a toda a Várzea Grande serviços essenciais de infraestrutura, como saneamento básico, distribuição de água em 100% do Município e pavimentação asfáltica.

O Altos da Boa Vista foi o ponto de partida da retomada do PAC, no Município. A Travessa Nenem é a mais adiantada e ainda nesta semana a pavimentação estará concluída, restando o acabamento, que é a colocação de meio-fio.

Para dona Telma Gomes de Oliveira, a movimentação não traz transtorno algum. “Mesmo chegando à fase em que o trânsito de carros fica restrito e até impedido, por causa da massa asfáltica que está sendo colocada, o benefício é maior do que tudo. Estou aqui na Travessa B há 30 anos e já estava descrente de que um dia teríamos asfalto, tamanha foram as promessas. Sábado as máquinas estavam aqui operando. O PAC saiu do papel mesmo”.

Outro morador antigo, Altamiro Pereira, que reside na Travessa do Guedes, também chamada de rua Domingas Ramos Ferreira, conta que a qualidade de vida no bairro vai ser outra, será melhor. “Antes de vir o asfalto, vieram serviços de rede de esgoto e de reparo na rede de distribuição de água. Trabalho feito como deve ser e enfim, estamos sendo lembrados e valorizados pela administração municipal”.

Proprietário de uma mercearia na Travessa B e morador antigo, ‘seo’ Egídio Ferreira, também lembra da descrença da população local. “Trabalho aqui com alimentos, meu comércio tem de estar sempre limpo. Na chuva, era lama aqui na porta. Em tempos de seca, o pó invadia tudo, mas agora acabou. O asfaltou chegou e não poderia chegar em hora melhor, antes da próxima estiagem. Um presente de aniversário de Várzea Grande”.

premium

Ler Anterior

12/05/2016 – Desembargadora Maria Beatriz do TRT-MT diz que só tem dinheiro para pagar luz até outubro e diárias até julho

Leia em seguida

> Processos recebidos pelo PJe crescem 42% em 10 dias

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *