12/05/2016 – Desembargadora Maria Beatriz do TRT-MT diz que só tem dinheiro para pagar luz até outubro e diárias até julho

A crise financeira bateu forte no Fórum Desembargador José Simioni, sede do Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso – TRT da 23ª Região. A presidente do TRT, desembargadora Maria Beatriz Theodoro, utilizou a abertura da 1ª Semana Jurídica de 2016 do Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso para alertar sobre a gravidade da situação.

Maria Beatriz Theodoro aproveitou a presença do governador José Pedro Taques (PSDB), no evento, para desabafar e pedir parceria. “Nosso orçamento de 2016 sofreu um corte de quase 50%: caiu de R$ 30 milhões para apenas R$ 16 milhões. E ainda temos que cortar mais de R$ 1,5 milhão para equilibrar o questão orçamentária e financeira”, citou ela, apontando para o chefe do Poder Executivo.

“Pelo orçamento, os subsídios e salários estão assegurados até novembro [fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”][dezembro não há garantias]. A energia elétrica tem garantia de ser paga até outubro e as diárias até julho”, argumentou Maria Beatriz Theodoro, conseguindo fazer com que Pedro Taques arregalasse os olhos e soltasse um profundo suspiro.

Ao pedido informal de socorro, Taques citou que o Orçamento da Secretaria de Estado de Educação é de R$ 1,9 bilhão, mas 90% comprometido com pessoal. E o orçamento da Universidade d Estado (Unemat) é de R$ 300 milhões, sendo 89% destinado à folha de pagamento, para atender 20 mil alunos. “Isso perfaz R$ 1,5 mil por mês com cada aluno. Eu sou a favor do ensino público e gratuito de qualidade, mas quanto custa uma mensalidade em instituição privada?”, questionou Taques, recebendo a resposta que a média é inferior a R$ 1 mil.

O evento

A 1ª Semana Jurídica de 2016 do Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso faz parte de um evento que ocorre semestralmente, promovido pela Escola Judicial do Tribunal (EJud) e faz parte do programa de formação continuada de magistrados da Justiça do Trabalho.

Participam do encontro juízes das varas e desembargadores do Tribunal. O evento conta com a realização de palestras, painéis e cursos tratando de temas presentes no cotidiano dos magistrados.

Nesta terça-feira (10), haverá palestra sobre Desenvolvimento Profissional e Pessoal com a psicóloga Cristiane Bianchi e, depois, no período vespertino, o juiz André Simionatto fala sobre a Parte Geral do Novo Código de Processo Civil.

Na quarta-feira (11), o juiz André Molina aborda o tema Processo de Conhecimento. Na quinta-feira (12) os juízes William Guilherme e Ivan Tessaro ministram palestra sobre Processo de Execução. Na sexta-feira (13), os desembargadores Osmair Couto e Edson Bueno encerram o evento com discussões sobre Incidentes de Uniformização de Jurisprudência e súmulas do TST.

Por ocasião do evento, ficam suspensos os prazos processuais e regimentais na Justiça do Trabalho em Mato Grosso, bem como a realização de audiências judiciais em todas as varas e as sessões de julgamento no Tribunal. A suspensão também atinge as coordenadorias de Apoio à Solução e Execução de Conflitos e de Contadoria.

Por Ronaldo Pacheco
Foto D´Rocha[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]

premium

Ler Anterior

12/05/2016 – BOA-FÉ DO BENEFICIÁRIO: Caixa não pode descontar valor pago a mais no Bolsa Família por erro

Leia em seguida

12/05/2016- PAC sai do papel e muda realidade do Altos da Boa Vista, em Várzea Grande

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *