• 21 de abril de 2021

06/07/2015 – Gaeco aponta esquema da AL e Cooperativa que recebeu R$ 550 mil de esquema

A Cooperativa de Crédito Rural de Primavera do Leste (PrimaCred) foi uma das beneficiadas com depósitos feitos pelo advogado Joaquim Mielli Camargo, epicentro e delator do suposto esquema que desviou R$ 9,4 milhões dos cofres da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Segundo ele, por indicação do ex-deputado José Riva, foram transferidos R$ 550 mil à cooperativa. As investigações apuram se a cooperativa tem ligação com algum deputado estadual.

A PrimaCred é presidida Jorge Francisco Mira, que atuou de 1973 a 1987 no banco Bamerindus.

Ele gerenciou a agência da instituição em Primavera do Leste. O depósito foi feito em 24 de fevereiro de 2014.

O Bamerindus, extinto em 1997 e adquirido pelo HSBC, era o banco credor dos R$ 9,4 milhões pagos pela Assembleia Legislativa a Camargo, no início de 2014, cuja investigação originou a Operação Ventríloquo, do Ministério Público Estadual (MPE).

Camargo recebeu o valor de R$ 9,4 milhões referente a uma dívida da Assembleia com o extinto Bamerindus, depois incorporado pelo HSBC.

O pagamento foi feito em três parcelas de R$ 3 milhões, mais R$ 400 mil referente a correção monetária, autorizados pela Mesa Diretora, presidida pelos deputados Romoaldo Júnior (PMDB) e Mauro Savi (PR).

A autorização para o repasse de R$ 550 mil foi assinada pelo advogado Julio Cesar Rodrigues, apontado como o lobista que intermediou o alegado esquema. Por LUCAS RODRIGUES

premium

Ler Anterior

04/07/2015 Nelson Jobim afirma que financiamento público vai empurrar as campanhas para a ilegalidade

Leia em seguida

06/07/2015 – TRE trava ação por possível impedimento do advogado Blaszak

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *