• 18 de setembro de 2021

02/03/2016 – Deputados solicitam apoio do TJMT em CPI

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Paulo da Cunha, recebeu, na manhã desta quarta-feira (02 de março), representantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Ministério Público, instaurada pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso, que investiga a emissão de cartas de crédito para membros do MPE.

O grupo de deputados estaduais liderado pelo presidente da CPI, Max Russi, solicitou apoio do Poder Judiciário quanto à disponibilização de oficiais de Justiça para a entrega de documentos, como intimações e convocações aos envolvidos no processo.

Atualmente, existe a parceria entre os Poderes Judiciário e Legislativo nesse sentido. Dois oficiais de Justiça encontram-se à disposição da CPI de renúncia à sonegação fiscal.

O presidente do TJMT, por sua vez, afirmou que será um prazer dar continuidade ao trabalho de cooperação entre as instituições. “A CPI pode contar com nosso apoio total quanto aos seus trabalhos. Estamos imbuídos nessa atividade, e vamos sim conceder os profissionais que precisam”.

De acordo com Russi, o auxílio recebido da parte de Cunha irá conferir mais celeridade e segurança aos procedimentos adotados pela CPI. “Fomos muito bem recepcionados no Tribunal de Justiça e esse suporte irá agilizar nosso trabalho quanto as oitivas necessárias à CPI. Além de garantir a entrega dos documentos”, destacou.

A CPI do MPE também é composta pelos deputados Leonardo Ribeiro Alburquerque (Dr. Leonardo) relator da CPI e os membros Oscar Bezerra, Wilson Santos e José Carlos do Pátio.

A colaboração da AL também foi requisitada ao Tribunal de Contas do Estado (TCE/MT), quanto à liberação de auditores para assessorar a CPI do MPE.POR Viviane Moura/Fotos: Otmar de Oliveira

premium

Ler Anterior

02/03/2016 – ABUSO DE PODER: Políticos cassados depois de eleitos devem ressarcir gastos com nova votação

Leia em seguida

02/03/2016 – OAB e mais de 100 entidades lançam movimento nacional contra CPMF

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *