01/10/2015 – Presidente da Amam compara Selma com juiz da Lava Jato e assina apoio

O presidente da Associação Mato-grossense dos Magistrados (Amam), José Arimatéa, comparou as atuações do juiz federal da 13ª Vara Federal de Curitiba, Sérgio Moro, com a da juíza da 7ª Vara Criminal, Selma Arruda. Para ele, ambos representam a magistratura de todo o país no combate à corrupção.

Arimatéa fez a comparação após ser questionado sobre os motivos que o levaram a assinar uma nota de apoio ao juiz Sérgo Moro. Uma mobilização nacional ocorreu em agosto e cerca de 1,3 mil magistrados emitiram nota de apoio ao colega devido a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que, por unanimidade, resolveu desmembrar o processo da Lava Jato, tirando das mãos de Moro o julgamento de muitos envolvidos no suposto esquema de corrupção.

A reação, segundo Arimatéa, foi organizada de forma informal por grupos de whatsapp de magistrados de todo país, porém, somente cinco juízes de Mato Grosso assinaram: Leonardo Hernandez Santos Soares (juiz federal), José Arimatea Neves Costa (juiz do TJ), Regis de Souza Araújo (juiz federal), Antonio Horácio da Silva Neto (juiz do TJ) e Mirko Vincenzo Giannotti (juiz do TJ). A lista está divulgada no Facebook, veja aqui. O presidente da Amam faz questão de esclarecer que não se tratou de uma mobilização institucional.

“Essa mobilização foi feita por grupos de whatsapp. Eu estou em grupo de juízes comandado por colega de Goiás e tem pouca gente de Mato Grosso, até porque os grupos são limitados até 100 pessoas”, justifica.

Mesmo não sendo um movimento institucional, 1,3 mil juízes declararam apoio a Moro, que vem se destacando no combate a corrupção devido a atuação na Operação Lava Jato, que já teve mais de 30 condenados, 140 denunciados, sendo que 119 tornaram-se réus no processo.

O magistrado federal tomou notoriedade também por ter garantido em sentenças a devolução de quase R$ 900 milhões, valor referente ao desvio de recursos da Petrobrás, além de ter feito o bloqueio de mais de R$ 2 bilhões, como garantia do ressarcimento.

Com relação à Selma em Mato Grosso, esta não é a primeira vez que ela tem apoio de colegas. A Amam já emitiu nota em seu favor em março deste ano, devido ao exceço de pedidos de suspeição do ex-deputado José Riva, e o presidente da entidade agora se manifestou em apoio a atuação dela.

“O juiz Moro é um colega como qualquer outro incumbido de processos que geram repercussão e representam a magistratura de todo país, a exemplo da nossa colega Selma. Representam o sentimento contra a corrupção, contra a morosidade, contra a impunidade existente nas mentes e corações de todos os juízes”, defendeu.

Sobre algumas críticas feitas pela OAB-MT à magistrada, Arimatéa pontua que a ordem tem feito seu papel institucional. Ele diz ainda desconhecer qualquer reclamação feita contra Selma vinda da própria classe.

“Ado ado ado, cada um no seu quadrado. Se no entendimento da diretoria da ordem algum magistrado está errado, é um direito deles criticarem”, ironiza. Por Aline Marques

premium

Ler Anterior

01/10/2015- Ministro do STF nega liberdade a ex-governador Silval Barbosa

Leia em seguida

RESPEITO MUTUO

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *